Categorias de erva-mate para chimarrão.

Categorias de erva-mate para chimarrão. Normalmente a rotina de um bom mateador (pessoa que bebe o mate com muita frequência) é cevar (fazer o preparo da infusão) o seu mate e consumir uma garrafa térmica com água quente (65ºC a 70ºC) logo pela manhã quando acordam, pelo meio dia e a tarde após o trabalho.

Claro que existem pessoas que tomam mais e outras com menos frequência. Mas essa é a média em geral.

O que eu irei te apresentar neste artigo são 5 categorias de erva-mate que você pode experimentar. Porém existem mais categorias conhecidas que vamos comentar em outros artigos, nos acompanhe para ficar por dentro de todo esse mundo maravilhoso do mate.

Muitas pessoas acabam com o tempo querendo experimentar mais variedades. Porém, não sabem por onde começar.

Então leia até o final para entender mais sobre:

Categorias de erva-mate para chimarrão

  1.  Moída fina verde 
  2.  Moída média Repousada 
  3.  Moída média Verde 
  4.  Moída grossa Repousada 
  5.  Moída grossa Verde 

Vamos lá!

O chimarrão do gaúcho

É normal de se ver principalmente no Rio Grande do Sul o famoso chimarrão. Considerado uma bebida símbolo para o estado.

Aquela cuia com uma erva verde em cima chamativa logo pela manhã. Essa é a rotina de muitas pessoas. Na casa, no escritório ou na universidade, em qualquer lugar vai bem um mate. Dizem que até aquece a alma! 

Porém, as pessoas que estão querendo procurar mais tipos de erva-mate ou até mesmo testar outros sabores, mas não sabem por onde começar.

Por isso, neste artigo iremos descrever os 5 tipos de erva-mate que você pode adquirir e experimentar nos próximos dias.

Então vamos em frente para você entender mais sobre as variedades.

1- Categorias de erva-mate para chimarrão: Erva-mate Moída fina Verde

  • Composição: 70% folha e 30% palito e talos.
  • Granulometria: 1mm
  • Cor: Verde
  • Sabor: Suave
  • Nome científico: Ilex paraguariensis

“Eu gosto de algo suave. Não muito amargo.

Normalmente as pessoas são assim em questão de chimarrão. E a primeira erva da nossa lista é a Moída fina verde

Esse padrão apresenta uma cor verde intensa devido ao período curto entre colheita, secagem, moagem e comercialização. Nessa condição a cor verde é resultante da clorofila ainda presente nas partículas da folha.

Outra característica marcante da Erva Fina é o sabor mais suave, proveniente do açúcar natural da folha liberado no processo de moagem realizado em soque mecânico ou em atritor.

Por tratar-se de um produto final muito fino, quase igualando-se à um pó, é necessário usar um filtro na peneira da bomba metálica para facilitar a sucção da infusão.

Outro detalhe importante é a embalagem utilizada para proteger este produto. Para preservar a cor verde a embalagem precisa proteger a erva da luz. 

Se for embalada à vácuo o produto terá mais tempo de validade e não ocorrerá transformações organolépticas significantes. Mas se não for embalada à vácuo, o ideal é conservar na geladeira até a utilização final da erva-mate. Dessa forma você não perderá o frescor e aroma desse produto tão nobre.

Experimente! Pode ser perfeita para você.

2- Erva-mate Moída média Repousada 

  • Composição: 70% folha e 30% palito e talos
  • Granulometria: 1mm a 3mm
  • Cor: Amarelo claro.
  • Sabor: Encorpado, persistente.
  • Nome científico: Ilex paraguariensis.

Você já viu o nosso artigo sobre a produção da erva-mate?

Antes, vamos entender sobre esse tipo de erva-mate. A erva-mate Moída Média Repousada 

Mas o que é a erva-mate Repousada?  A erva-mate ganha a coloração de tom amarelado a partir de 6 meses de fabricação, ficando mais intensa no decorrer. Isso ocorre pela ação da luz, calor e umidade. A expressão “repousada” pode ser descrita também como: envelhecida, estacionada, descansada ou amarelada. 

Essa erva pode ser utilizada não apenas para o chimarrão como também para o tereré. Ela é composta em torno de 30% de caule e 70% de folhas. 

Uma característica marcante deste padrão é o sabor mais encorpado e a persistência durante a infusão no mate. Devido a moagem resultar numa maior granulometria, a água é absorvida com maior facilidade pelas folhas no recipiente da cuia. Isto resulta numa extração mais eficiente e prolongada das propriedades da erva-mate. Isso ocorre com todas as moagens mais grossas.

Uma dica, você pode fazer o seu próprio blend com outros padrões de erva-mate. Basta inserir dois ou três tipos de erva-mate no preparo do mate para ter essa experiência. 

3-Erva-mate Moída média Verde 

  • Composição: 70% folha e 30% palito e talos
  • Granulometria: 1mm a 3mm
  • Cor: Verde
  • Sabor: Encorpado, persistente
  • Nome científico: Ilex paraguariensis.

Esse padrão nos remete ao que foi usado no passado nos engenhos coloniais quando a erva-mate ainda era moída em pilões construídos em troncos de madeira. Nesse sistema antigo de moagem era empregada a força manual para fragmentar as folhas secas de erva-mate. Normalmente esse processo resultava em folhas maiores, que hoje são obtidas em soques ou moinhos industriais de alta produtividade. 

Esse padrão de moagem facilita o processo de infusão e também confere um sabor mais acentuado e persistente.

Se você tem dificuldade para preparar o seu mate com a erva Verde Fina, indicamos misturar com a erva Moída Média Verde para não entupir a bomba na hora de saborear seu mate.

Se você der uma lida no artigo recomendado acima, você irá entender um pouco mais…

O consumo da ervamate está relacionado também ao poder que ela tem de estimular a atividade física e mental!

4Erva-Mate Moída grossa Repousada 

  • Composição: 70% folha e 30% palito e talos
  • Granulometria: 1mm a 5mm
  • Cor: Amarelo claro
  • Sabor: Extra encorpado, persistente
  • Nome científico: Ilex paraguariensis.

O padrão Erva-mate Moída grossa Repousada é a preferida pelos argentinos e sírios, porém a infusão é feita tradicionalmente à quente. No Brasil é consumida principalmente nas regiões mais quentes com o preparo à frio, ou seja o Tereré

Para o uso no preparo do tereré normalmente as indústrias ervateiras adicionam mais palitos e talos da planta para facilitar a infusão e torná-la mais suave. 

Geralmente a água para a infusão é completada com frutas cítricas dando uma sensação de maior refrescância ao organismo.

O recipiente utilizado para a infusão normalmente é o copo de chifre, alumínio, bambu, plástico ou vidro. Ou seja, não tem muita cerimônia para apreciá-lo.

Pode ser até mesmo aqueles tipos de cuias do tamanho de coco. Assim, fica mais fácil de consumir.

5- Erva-Mate Moída Grossa Verde 

  • Composição: 50% a 70% folha e 50% a 30% palito e talos
  • Granulometria: 1mm a 5mm
  • Cor: Verde
  • Sabor: Encorpado, persistente
  • Nome científico: Ilex paraguariensis.

Enfim chegamos na última categoria das cinco apresentadas hoje. Vamos conhecer…

A erva-mate Moída Grossa Verde é praticamente o mesmo produto da categoria anterior, própria para infusão à frio, porém muda alguns aspectos organolépticos como cor, sabor e aroma.

A cor verde é devido ao processo recente de fabricação como já descrevemos no primeiro item da erva Verde Fina.

O sabor também nos remete ao frescor trazendo notas de capim limão e hortelã, mas com adstringência típica da erva-mate.

O aroma nos faz perceber a clorofila presente, remetendo ao cheiro de folha in natura.

Assim como as outras ervas com moagem média e grossa, esse tipo de erva-mate pode ser misturado com a erva fina proporcionando novas experiências sensoriais nos seu dia a dia. 

Agora chegamos ao fim do nosso artigo, descrevendo sobre os 5 tipos de moagem e repouso, resultando em sabores ainda pouco conhecidos em muitos estados brasileiros. 

Esperamos que este artigo tenha elucidado muitas dúvidas sobre as inúmeras opções de erva-mate que podemos encontrar na quitanda, na loja de produtos naturais ou no supermercado. 

No site chimatearia.com.br temos diversas variedades para você escolher. Como também, o melhor preço para o consumidor.

Caso tenha dúvidas e dificuldades, pode falar conosco pelo Instagram: Instagram Chimatearia.

Até o próximo…

Deixe um comentário